Dia das Mães faz filha lembrar de sua mãe linchada Guarujá S.P

Yasmin falou sobre a falta da mãe

Yasmin falou sobre a falta da mãe

A estudante Yasmin Maria de Jesus, de 12 anos, não poderá abraçar sua mãe neste domingo (11), Dia das Mães. Ela é uma das filhas da dona de casa Fabiane Maria de Jesus, de 33 anos, que morreu na segunda-feira (5) após ser espancada em uma comunidade de Guarujá, no litoral de São Paulo. A jovem relembra momentos e revela que iria fazer uma surpresa a Fabiane.

A dona de casa foi linchada no dia 3 de maio e morreu após ficar dois dias internada no Hospital Santo Amaro. Fabiane foi atacada por uma multidão depois da publicação de um retrato falado em uma página no Facebook de uma mulher que realizava rituais de magia negra com crianças sequestradas.

Yasmin completa 13 anos em junho e fala com carinho sobre a mãe. Dias antes de Fabiane morrer, a estudante havia sido escolhida como a melhor aluna de sua classe, no colégio onde estuda. “Eu não esperava quando me contaram. A diretora disse que eu fui a única a conseguir 80% nas notas e todo mundo começou a me aplaudir. Logo que eu cheguei, fui contar para a minha mãe. Ela adorou, me deu parabéns e já foi falar para a minha avó”, relembra.

Fabiane havia concluído o Ensino Fundamental recentemente e gostava de se aperfeiçoar, tanto que fez cursos profissionalizantes. A filha lembra que ela queria ser técnica em Turismo ou comissária de bordo. O marido Jaílson Alves das Neves confirma essa vontade. “Quando a gente falava em viajar, ela sempre se animava. Queria ir para a casa da minha irmã no Mato Grosso. Ela tem irmãs no Rio de Janeiro, queria viajar para lá”, comenta.

Fabiane havia concluído o Ensino Fundamental recentemente e gostava de se aperfeiçoar, tanto que fez cursos profissionalizantes. A filha lembra que ela queria ser técnica em Turismo ou comissária de bordo. O marido Jaílson Alves das Neves confirma essa vontade. “Quando a gente falava em viajar, ela sempre se animava. Queria ir para a casa da minha irmã no Mato Grosso. Ela tem irmãs no Rio de Janeiro, queria viajar para lá”, comenta.
Mas não eram apenas essas as paixões da dona de casa. Além da família, Fabiane gostava de pintar panos de prato e ensinou Yasmin a seguir seus passos. “Ela me ensinou a fazer bordados. Eu aprendi com ela. Tenho pintado junto com as minhas primas”, destaca.
No entanto, todas as boas lembranças não são capazes de apagar a dor que a jovem sente com a perda da mãe, que deve aumentar neste domingo. “Eu amo ela. Sinto que amo a minha mãe demais. Eu queria muito que ela estivesse aqui também”, lamenta.
Para comemorar o Dia das Mães, Yasmin iria apresentar uma surpresa para Fabiane, um cartaz com poesias, como a dona de casa gostava. “Mãe eu te amo e sempre vou te amar, como a lua pelo sol e a terra pelo mar”, escreveu.
Missa reúne familiares e amigos da dona de casa linchada em Guarujá, SP .

Missa reuniu familiares e amigos da dona de casa em Guarujá, SP

Centenas de pessoas participaram na noite deste sábado (10) de uma missa em memória à Fabiane. A cerimôna aconteceu na Igreja São João Batista, no bairro Morrinhos, bem próximo ao local da agressão, e contou com cerca de 300 pessoas. Todos que participaram da missa usavam uma fita preta na roupa, representando luto. Alguns vestiam camisas com uma foto e os dizeres ‘Fabiane – A dor da inocência’.
A mãe dela, o marido e as filhas Yasmin e Ester, de um ano, estavam presentes e se emocionaram durante todo o tempo. “Está sendo muito difícil para todo mundo. A mãe dela está muito abalada, a Yasmin também. Hoje me senti um pouco mais aliviado. A saudade bateu, pude chorar um pouco e lembrar dela. Ela era muito amada por nós e por muitas pessoas da comunidade, tanto que vocês viram a quantidade de pessoas que estiveram aqui hoje”, diz Jaílson. Em um dado momento, todos cantaram uma música que a dona de casa gostava, o que provocou uma grande comoção entre os presentes.