Deputado evangélico hostiliza Xuxa em sessão da câmera

 

Deputado critica presença de Xuxa no plenário

Deputado critica presença de Xuxa no plenário

A sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara na manhã desta quarta-feira foi marcada por bate-boca entre parlamentares. O deputado Pastor Eurico (PSB-PE) chegou a hostilizar e constranger a apresentadora Xuxa Meneghel, que acompanhou o debate.


A reunião foi tumultuada do início ao fim porque os deputados discutiam a redação final da chamada “Lei da Palmada”, que altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e proíbe a aplicação de castigos físicos a crianças e adolescentes. A bancada evangélica é ferrenha opositora da matéria – aprovada nesta quarta após dois anos de tramitação – e tentava evitar que ela fosse concluída.

Quando Xuxa chegou para acompanhar a sessão, ao lado da ministra dos Diretos Humanos, Ideli Salvatti, o clima tenso na reunião já havia provocado interrupção dos trabalhos. No momento em que os evangélicos cobravam o presidente em exercício, Luiz Couto (PT-PE), para encerrar a sessão, o deputado Pastor Eurico hostilizou a apresentadora e disse que sua presença era um desrespeito às famílias do Brasil.

— A conhecida Rainha dos Baixinhos, que no ano de 1982 provocou a maior violência contra as crianças — disse, referindo-se ao filme “Amor Estranho Amor”, em que Xuxa aparece em cena de sexo com um adolescente de 12 anos.

A declaração gerou repúdio da maioria dos que ali estavam presentes-inclusive dos evangélicos. Xuxa deixou o local sem falar no assunto.