Depois de anos, Gugu e SBT terão que indenizar vítima da “farsa do PCC”

Quase 12 anos depois da farsa do PCC, o SBT e Gugu Liberato terão que indenizar uma das vítimas do escândalo. O STJ (Superior Tribunal de Justiça) negou recurso, e o apresentador e a rede de Silvio Santos poderão a qualquer momento ter R$ 1 milhão bloqueados para o pagamento de indenização ao ex-árbitro de futebol Oscar Roberto Godoi, que em 2003 apresentava o Cidade Alerta, na Record. Godoi hoje é comentarista esportivo na TV Gazeta, de São Paulo.

De acordo com o site Notícias da TV, exibida em 7 de setembro de 2003, no programa “Domingo Legal”, a entrevista feita pelo repórter Wagner Maffezoli mostrava dois homens armados e encapuzados, que diziam integrar a facção criminosa PCC. Eles fizeram ameaças a diversas personalidades.

O caso ganhou repercussão e chegou à polícia. Nas semanas seguintes, a entrevista foi desmascarada por policiais e jornalistas. Os apresentadores envolvidos ameaçaram processar a emissora, mas apenas Godoi levou o caso aos tribunais. O processo seguiu em sigilo de Justiça, a pedido de Gugu.

Segundo Lucio Palma, advogado de Oscar Roberto Godoi, SBT e Gugu perderam a ação em primeira e segunda instâncias. Em primeiro grau, foram setenciados a indenizar Godoi em R$ 100 mil pelos transtornos causados pelas ameaças encenadas. O Tribunal de Justiça de São Paulo elevou a multa para R$ 250 mil. Godoi pediu, então, o cumprimento provisório da sentença, ou seja, o pagamento da multa antes de o processo ser considerado transitado em julgado.

Em fevereiro deste ano, o canal e o apresentador recorreram ao STJ por meio de uma medida cautelar, ao alegar que, a qualquer momento, poderão ter bloqueados por juiz “ativos financeiros no montante aproximado de R$ 1 milhão” para o pagamento da indenização de R$ 250 mil, em valores corrigidos. O ministro Luis Felipe Salomão indeferiu o pedido.

Foto:(Reprodução)

Foto:(Reprodução)