Cristo Redentor: restaurado e mais protegido é entregue novamente ao povo brasileiro

Com a conclusão das obras de restauração e manutenção do Cristo Redentor, o Arcebispo Metropolitano, Cardeal Dom Orani João Tempesta, presidiu a cerimônia religiosa de benção do Monumento às 8 horas de hoje aos pés da estátua, localizada no Corcovado, dentro do Parque Nacional da Tijuca. A celebração contou com a presença de Padre Omar Raposo, reitor do Cristo Redentor do Corcovado; Paolo Dal Pino, presidente da Pirelli para América do Sul; entre outros convidados.
Com apoio e patrocínio da Pirelli, em comemoração aos 85 anos de presença no Brasil, o trabalho reserva em si grande relevância técnica para a preservação do importante ponto turístico carioca e para a segurança dos visitantes. As obras foram executadas com a aprovação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e realizadas pela Cone Engenharia.
A restauração aconteceu nos dedos polegar, indicador e médio da mão direita e em quatro pontos da cabeça. Tesselas de pedra-sabão danificadas também foram reformadas, assim como a manta catódica, que é de suma importância para a proteção da estrutura de aço do concreto-armado do Monumento. Mas a grande novidade é que o Cristo Redentor, a partir de agora, está ainda mais protegido contra as intempéries climáticas: houve um aumento no Sistema de Proteção de Descargas Atmosféricas (SPDA), com a expansão dos sistemas de aterramento da Gaiola de Faraday, para uma melhor blindagem eletrostática, e com a ampliação dos captores de pára-raios, que ganharam nova altura na cabeça do Monumento e alcançam até os dedos indicadores do Cristo Redentor, e não mais apenas até os polegares.
“É uma alegria vermos o Monumento completamente restaurado! E é maravilhoso termos conseguido ampliar seu sistema de proteção contra as descargas atmosféricas sem que nele houvesse qualquer alteração estética. Lindo, como sempre, e mais protegido, o Cristo Redentor está de braços abertos para acolher peregrinos do mundo todo”, destacou o reitor do Santuário Cristo Redentor, Padre Omar Raposo.
“A ocasião é especial por colaborar com a proteção de um dos maiores símbolos do Brasil, visitado por pessoas de todo o planeta, que também é uma das sete maravilhas do mundo moderno” declarou Paolo Dal Pino, presidente da Pirelli para a América do Sul. “Celebrar 85 anos de presença no País entregando ao povo brasileiro e ao mundo um Cristo Redentor restaurado e mais protegido é um grande orgulho para a Pirelli”.
As obras começaram no início do ano, após partes do Monumento terem sido danificadas por raios que o atingiram em dezembro de 2013 e janeiro de 2014. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Cristo Redentor, até então, vinha sendo atingido, em média, por seis raios a cada ano.