Cristiano Ronaldo leva pela segunda vez a Bola de Ouro

Cristiano Ronaldo já pertencia ao grupo restrito de 43 atletas que têm uma Bola de Ouro. Agora, tornou-se membro de um clube ainda mais exclusivo: o português foi considerado o melhor futebolista do mundo de 2013, votação revelada durante a Gala da FIFA, em Zurique, Suíça, e tornou-se o décimo jogador a vencer o prémio mais do que uma vez.

 

Confirmou-se o favoritismo que era atribuído ao avançado do Real Madrid e de Portugal, autor de 69 golos em 59 jogos durante o ano passado, números que serviram para superar o argentino Lionel Messi e o francês Franck Ribéry, segundo e terceiro, respectivamente, no sufrágio decidido pelos seleccionadores e capitães nacionais e por um grupo de jornalistas.

O madeirense, que chorou ao receber o prémio, repete assim o triunfo obtido em 2008, quando ficou à frente de Messi, o vencedor das quatro edições anteriores do troféu, e Fernando Torres. Desta vez, Cristiano Ronaldo reuniu 27,99 por cento dos votos (1365 pontos), mais do que Messi (24,72%; 1205 pontos) e Ribéry (23,36%; 1127 pontos). Ibrahimovic foi o quarto jogador mais votado, com 5,29%.

Eusébio foi o primeiro futebolista português a receber a Bola de Ouro, sendo galardoado em 1965, na décima edição do prémio criado pela revista francesaFrance Football e estimulado por um grupo de jornalistas liderados por Gabriel Hanot, antigo internacional e seleccionador francês. Depois foi preciso esperar até 2000 para um luso voltar a ganhar a votação, então através de Luís Figo.

Ronaldo é o primeiro desportista nacional a vencer a Bola de Ouro pela segunda vez. Prova da qualidade e do impacto do português na modalidade é o facto de ter sido eleito num dos dois primeiros lugares pela sexta vez nos últimos sete anos.

Antes dele, apenas Messi (4), os holandeses Johan Cruyff (3) e Marco van Basten (3), o francês Michel Platini (3), o hispano-argentino Alfredo di Stéfano (2), os alemães Franz Beckenbauer (2) e Karl-Heinz Rummenigge (2), o inglês Kevin Keegan (2) e o brasileiro Ronaldo (2) foram capazes de receber o troféu em múltiplas ocasiões.

Aos 28 anos, o capitão da selecção portuguesa tornou-se ainda o quinto jogador do Real Madrid a arrecadar o troféu, embora seja o primeiro desde Alfredo di Stéfano, em 1959, a consegui-lo depois de representar o clube no ano inteiro a que se reporta o prémio – Figo (2000) e Ronaldo (2002) chegaram à equipa da capital espanhola a meio do ano.

O jogador formado maioritariamente no Sporting é somente o terceiro a ganhar a Bola de Ouro por dois clubes distintos, depois de Johan Cruyff (Ajax e Barcelona) e Ronaldo (Inter Milão e Real Madrid). Quando o fez em 2008, o português representava o Manchester United.

Desde a inauguração, em 1956, até 1994, o prémio esteve reservado a jogadores europeus. Mais tarde, entre 1995 e 2006, o seu âmbito foi alargado para reconhecer o melhor futebolista a jogar num clube da Europa, e só a partir de 2007 evoluiu para distinguir o melhor do mundo, sem restrições de qualquer espécie.

Estas limitações iniciais ajudam a entender a ausência de jogadores como Pelé e Maradona da lista de vencedores. A partir de 2010, a Bola de Ouro fundiu-se com o prémio de Jogador do Ano da FIFA e deu origem à Bola de Ouro FIFA, a actual designação oficial do troféu