“Conexão Repórter” 03/12/14 Cantores Sertanejos

No “Conexão Repórter” desta quarta-feira (03), Roberto Cabrini irá mostrar como é a vida dos cantores sertanejos como: Maria Cecília e Rodolfo, Fernando e Sorocaba entre outros.

Roberto Cabrini irá retratar o universo do gênero musical que hoje se tornou uma indústria poderosa, que se reinventa e produz ícones, ídolos, heróis e uma legião interminável de sonhadores, embalados pelas suas letras e seu som.

Para entender como vivem e o que os motiva é preciso seguir seus passos, na rotina diária, nas viagens, nos bastidores dos shows: o ser humano atrás dos artistas.

Um mercado disputado. São mais cem mil duplas sertanejas à procura de um lugar ao Sol.

As inspirações são muitas: Zezé de Camargo e Luciano, Chitãozinho e Xororó, Milionário e José Rico, Leandro e Leonardo, entre outras.
Candidatos a estrelas que se inspiram em astros estabelecidos que, por sua vez, procuram se renovar.

Após o "Programa do Ratinho" no SBT

Após o “Programa do Ratinho” no SBT

Ele é um gênio desse meio. Fernando Fakri de Assis nasceu em Sorocaba, cidade do interior paulista que acabou lhe emprestando o apelido. Além de cantor e compositor é um descobridor de talentos e um empresário arrojado. Nos palcos, é parte de uma dupla que chegou ao topo da montanha: Fernando e Sorocaba. O astro dos palcos durante o dia é o empresário de agenda cheia e compromissos em sequência. O outro lado deste universo.

De Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, veio uma dupla que chegou para quebrar barreiras. Maria Cecília e Rodolfo começaram a cantar nos corredores da faculdade Zooctenia. O que era um hobb foi conquistando fãs e virou profissão. O meio perdeu dois profissionais e a música sertaneja ganhou uma das duplas mais queridas do país.

João Neto e Frederico, o sucesso avassalador. Em uma década de parceria, 10 CDs gravados. Hoje, eles são donos de uma agenda sempre lotada de shows. São, em média, 15 apresentações por mês.

Raffael Machado, uma jovem revelação do sertanejo romântico. Aos 27 anos, ele é o que se pode chamar de novo milionário. A cada dois dias, novo show e um cachê de 80 mil reais em média. Carro importado, fazenda e até um helicóptero para se locomover de uma cidade a outra. Ele tem orgulho de exibir suas conquistas. Seus hits musicais têm número de acessos na internet, dignos da população de muitos países.

E mais: enquanto uns experimentam o sabor da fama, outros ainda estão no começo de um sonho. É o caso de Filipi Gabriel e Gustavo. Uma história que fomos conhecer em Araraquara, no interior paulista.

Afinal, qual o segredo para ganhar espaço e conseguir se manter bem, em meio a tanta concorrência?

Uma vida agitada. Este é o jeito deles de viver, e de tocar corações. Cair e se levantar. Aprender com fracassos, jamais desistir quando o público vem junto, em uma canção tudo parece valer a pena, tudo enfim faz sentido.

É nesta quarta-feira, logo após o “Programa do Ratinho”, no SBT.

Divulgação: SBT