Com morte de Eduardo Campos Record cresce 30 %

recordA audiência das emissoras aumentou até 30% com a cobertura da morte de Eduardo Campos, candidato do PSB (Partido Socialista Brasileiro) à Presidência. A Globo chegou a dobrar com o plantão do acidente aéreo que matou o presidenciável. Record e Band também cresceram com a transmissão da tragédia.

No horário do Vídeo Show (que não foi ao ar por causa do acidente), a Globo registrou 14 pontos na Grande São Paulo, segundo dados preliminares do Ibope. As últimas edições do programa beiravam sete.

Durante a transmissão, entre 12h e 15h, a Globo registrou 13 pontos e picos de 17,0, cerca de 30% de aumento (em dias comuns, costuma marcar dez). A Record ficou em segundo, com 6,5. O SBT, em terceiro, manteve a audiência, com 5,0 pontos. A Band cravou 3,0. Cada ponto equivale a 65 mil domicílios na Grande São Paulo.

A Globo começou a transmissão falando da queda do avião em Santos, litoral de São Paulo, no SP TV 1a Edição. Às 12h41, Evaristo Costa entrou às pressas para informar que, entre os passageiros, estava o candidato Eduardo Campos. O jornalista emendou o plantão (que entrou sem vinheta) com uma edição especial do Jornal Hoje. A correria foi tanta que ele apresentou o telejornal sem paletó.

A Record cobriu o acidente no Balanço Geral e estendeu a transmissão no Programa da Tarde. O SBT não interrompeu a programação e exibiu normalmente as séries Um Maluco no Pedaco e Eu, a Patroa e as Crianças, além do programa Casos de Família. A morte de Eduardo Campos foi noticiada em flashes nos intervalos, um deles ancorado por Roberto Cabrini.

José Luiz Datena, em Brasília, cobriu pela Band o plantão do acidente aéreo. A transmissão da morte do presidenciável continuou no Ta na Tela, mantendo a linha sensacionalista do programa, com gritos e trilha de terror.

Castro