Cinzas de Marlene são jogadas na Baía de Guanabara

A cantora Marlene, que morreu no sábado no Hospital Casa de Portugal, no Rio Comprido, de falência múltipla dos órgãos, foi velada e cremada neste domingo (15). Dezenas de amigos, parentes, personalidades do meio artístico e fãs, ocuparam no domingo o saguão do Teatro João Caetano, na Praça Tiradentes, no centro do Rio, para prestar a última homenagem à estrela da era de ouro do rádio brasileiro.
O velório foi encerrado por volta das 15h e o corpo seguiu para a cremação no Memorial do Carmo, no Cemitério do Caju, em cerimônia reservada à família. O único filho da cantora, Sérgio Henrique Bonaiutti, informou que as cinzas foram jogadas na Baía de Guanabara, atendendo a um desejo de Marlene.