Casais de detentos gays realizam Casamento no Presídio, Confira

Amor que não se mede, casais homossexuais realiza cerimônia no centro de Ressocialização de Cuiabá, a cerimônia foi realizada na quarta feira (3).

A união de dois casais de detentos ‘causou’, os quatros presos fizeram os votos matrimoniais tudo nos mínimos detalhes, com musicas românticas e uma singela festa com bolo de casamento, salgadinhos, sucos e refrigerantes.

Emerson, Duda, Rael e Mauro fizeram assinaram documentos reconhecendo a união estável perante alguns amigos, padrinhos e madrinhas, funcionários, representantes do governo e imprensa.

Os detentos participam do projeto “Arco-íris”, que contempla 11 homossexuais que cumprem pena naquele presídio. Os detentos ficam separados dos outros presos para a preservação da integridade física deles. Dois dos presos que se casaram já tinham tido outros relacionamentos com mulheres fora da prisão, inclusive filhos.

A travesti Duda, de 32 anos, foi condenada por tráfico de drogas. Na prisão, conheceu Emerson Marques, de 25, condenado por homicídio. “Gostei de conviver com ela e decidi pedi-la em casamento”. Emerson em entrevista ainda completou “Existem muitas críticas e a maioria das pessoas não aceita [esse tipo de relação], antes de ser preso, fui casado com uma mulher e tive uma filha, que hoje está com seis anos, ela me abandonou assim que fui condenado”.

Sabemos a existência do preconceito que muitos casais homossexuais ainda sofrem, mas para eles nada importa, o que eles querem  é a felicidade, e lutam pelos seus direitos como casal.

Duda “noiva” ainda disse que “Não é porque estamos presos que somos monstros. Temos direitos. E ainda podemos sair casados. Só de olhar [para ele], percebi que era amor. Ele me pediu em casamento e tivemos apoio dos amigos aqui do presídio. No começo, quando me assumi, não tinha apoio. Mas hoje minha família me respeita”.

E toda preparada Duda procurou seguir o padrão de um casório comum, vestida de noiva, usando uma tiara e com um buquê nas mãos, Duda foi o centro das atenções no eventos sem contar a realização de um sonho. Rael da Silva Cisi, de 36 anos, foi condenado a quatro anos e oito meses de prisão por aliciamento de adolescentes. Já o companheiro dele, Mauro Lúcio Miranda, de 28 anos, cumpre pena de sete anos por roubo. “Conhecemos-nos trabalhando [na prisão]. Conversamos e posso dizer que foi amor à primeira vista. É importante oficializarmos essa união para mostrar que é possível sermos recolocados na sociedade com os mesmos direitos das outras pessoas”, declarou Rael.

Independente do momento, eles pensam em um futuro e buscam serem vistos pela sociedade como pessoas normais independente dos erros todos merecem uma segunda chance e que os casais sejam felizes e sigam uma vida completamente diferente e que possam ser vistos como seres humanos e acima de tudo com direito a um amor verdadeiro.