“Babilônia” completou um mês nas telinhas

A novela “Babilônia” completou ontem (16), um mês nas telinhas. A trama conta com histórias que envolvem temas da atualidade, com personagens de caráter duvidoso. Mas pelo parece, a parte mais conservadora do público não tem se agradado com as apostas dos autores Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga.

Acontece que existe um grupo de discussão, que nesta ocasião foi antecipado. Normalmente ocorre por volta do capítulo 30 das novelas da “Globo”, mas desta vez se fez diferente, pois a primeira avaliação já foi feita quando trama ainda tinha 15 capítulos exibidos. Os telespectadores de São Paulo foram ouvidos no dia 1º de Abril.

Esta avaliação, parece não ter sido bem sucedida, pois a trama tem sofrido algumas mudanças e ao que parece ainda não tem conquistado o público, pois bateu índices de audiência mais baixos do que o esperado para um folhetim do horário nobre. Desde que entrou no ar a novela tem obtido uma média de 25.29 pontos até o capítulo 24, cinco pontos a menos que “Império” e seis abaixo de “Em Família”, suas antecessoras no horário.

A novela sofreu mudanças, desde sua abertura até as questões mais polêmicas envolvidas na trama:

Oficialmente, a emissora afirma que não houve mudança, apenas um ajuste de iluminação e cores. “Achamos que merecia pois no ar estava mais escura do que pretendíamos. Um ajuste simples. A logo não mudou, ela sempre teve a opção de usar em branco ou em vermelho. Como clareamos as cenas, optamos pela branca”, diz a nota.

Antes mesmo de a trama entrar no ar, o destino da personagem de Sophie Charlotte estava traçado na novela. O que se dizia era que ela entraria na prostituição, através das influências do namorado, Murilo(Bruno Gagliasso) que faz um cafetão. Destino este mudado por não ser permitida pela classificação indicativa no horário

Outro fato abordado na trama são os relacionamentos gays. O primeiro a ser mostrado para o público, foi o das personagens Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathalia Timberg), que logo no primeiro capítulo se deram um selinho. Enquanto muita gente aprovou, uma parcela do público rejeitou a história do casal. A reação gerou até um pedido de boicote à novela. O autor se manteve firme no inicio e afirmou que não mudaria isto, mas através do grupo de discussão foi possível inferir que o público não aprova este tipo contato físico entre as personagens, que vivem juntas há mais de 30 anos e pretendem oficializar a união em breve.

A personagem Beatriz(Glória Pires) não será mais devoradora de homens. Desde o inicio ele tem mostrado ser adepta a relacionamentos bem fortes, até mesmo com pessoas desconhecidas, o que será aliviado agora devido à criticas e a aproximação de Diogo(Thiago Martins), primeiro homem que ela vai amar de verdade. “A diminuição dos contatos físicos entre Teresa e Estela, e Beatriz tornando-se menos pegadora, são ajustes pouco significativos. O que importa é que não há rejeição a essas personagens. E a história delas não sofrerá mudanças”, garante o autor.

Uma questão bem polêmica incluída na novela é a religião. Chay Suede interpreta Rafael, um personagem que afirma não ter religião e é filho de um casal gay. Em seu primeiro jantar com na casa da namorada, acabou causando grande confusão com essas declarações. O hipócrita Aderbal (Marcos Palmeira) e a religiosa Consuelo (Arlete Salles) logo rejeitaram o rapaz, mas o choque era para ser ainda maior. A cena que foi ao ar foi amenizada, já que, no texto original, o jovem declararia com todas as letras que é ateu. Pelo visto, mesmo que queiram amenizar algumas situações, a trama não agradará a gregos e troianos, mas dará muito o que falar.

A Globo fez a primeira mudança em sua principal trama por conta das quedas, e agora faz outra delas.    (Imagem: Reprodução/Globo)

A Globo fez a primeira mudança em sua principal trama por conta das quedas, e agora faz outra delas.
(Imagem: Reprodução/Globo)