Após 2º exame negar ebola, paciente que tinha suspeita de ebola no Brasil deve ser liberado de hospital.

Guiné está em estado de emergência

Apesar do segundo exame ter dado negativo para o contágio por ebola do africano Souleymane Bah, o paciente só deve receber alta nesta terça-feira (14), de acordo com a assessoria de imprensa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Manguinhos, Zona Norte do Rio, onde ele está internado em isolamento desde sexta (10). Ainda segundo a assessoria, o africano deve passar por mais três exames que não podiam ser realizados anteriormente para preservar a equipe. As hipóteses de que ele estivesse com malária, dengue ou Aids foram descartadas.
A assessoria de imprensa da Fiocruz informou que os funcionários do instituto trabalham em clima de tranquilidade na unidade. Eles ficaram apreensivos em agosto, quando o instituto fez uma simulação de como seria a epidemia no Brasil, mas estão tranquilos após o resultado do primeiro exame dar negativo.

Apenas três pessoas estão em contato com o paciente. Um infectologista, uma enfermeira e um funcionário da limpeza. Ao todo, 30 pessoas já entraram na sala do isolamento, que tem TV. Segundo os médicos, ele está tranquilo. Ao sair do Paraná, ele disse aos médicos que tinha certeza que não tinha ebola.

A contraprova é essencial para a liberação do paciente, que está internado desde sexta-feira (10), em isolamento, no Instituto Evandro Chagas, na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Manguinhos, no Subúrbio do Rio. O primeiro exame de sangue realizado no sábado deu resultado negativo.

Ele saiu de seu país, a Guiné, no dia 19 de setembro. O país enfrenta uma epidemia de ebola. Ele entrou no Brasil por São Paulo, pelo Aeroporto Internacional de Guarulhos e foi para o interior de Santa Catarina, perto da fronteira com a Argentina. Ele pediu refúgio às autoridades brasileiras e depois seguiu para Cascavel, no Paraná.

Segundo infectologistas, a possibilidade deste segundo exame ter resultado diferente do primeiro é muito pequena. A amostra de sangue vai ser analisada no laboratório especializado em vírus exóticos no Instituto Evandro Chagas, em Belém, no Pará. O resultado deve sair no fim da tarde desta segunda-feira (13), sendo divulgado pelo Ministério da Saúde, em Brasília.

Ainda não se sabe qual será a logística para que Bah volte para Cascavel, no Paraná. Se num avião da Força Aérea Brasileira (FAB), no qual ele veio para o Rio, ou não.

Sessenta e cinco pessoas que tiveram contato com o homem suspeito de ter a doença numa Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no Paraná ainda estão sendo monitoradas. Todo o padrão de segurança será mantido até a divulgação do resultado do segundo exame.