Anunciantes se irritam com Record por “Vender barato e entregar mal”

Atriz vive Virgem Maria em um dos episódios da próxima temporada.

Atriz vive Virgem Maria em um dos episódios da próxima temporada.

A estratégia da Record de permanecer durante horas sem intervalos e levar ao ar blocos de anúncios com mais de seis minutos está repercutindo mal no mercado publicitário. Anunciantes e agências têm reclamado de que a emissora vende barato, mas entrega mal, quase sempre no começo ou no final dos programas, em intervalos tão gigantes que a audiência desaba.

As reclamações se agravaram com o horário eleitoral e chegaram ao reality show A Fazenda, uma das principais vitrines comerciais da emissora. Na última quinta-feira, a Record exibiu apenas um minuto de reality show e foi para um intervalo de seis minutos. Em seguida, para segurar a audiência, ficou 44 minutos com o programa. Após um novo bloco de seis minutos de comerciais, teve apenas três minutos de A Fazenda.

Os anunciantes reclamam que os intervalos são muitos grandes e feitos apenas no começo e no final dos programas, prática comum, por exemplo, no Cidade Alerta e Domingo Espetacular. Na Globo, o padrão são blocos de anúncios de no máximo quatro minutos, com duas chamadas nas extremidades, e intervalos no meio das atrações.

A Record tem atualmente o maior intervalo entre as maiores redes comerciais. No último sábado, durante a Fazenda, fez um único intervalo de intermináveis seis minutos e meio de duração. Nesse período, exibiu três chamadas de programação, uma chamada de patrocinadores da atração e 16 comerciais, oito de empresas e oito de políticos. Os anúncios são tão concentrados que um mesmo comercial da Fiat foi ao ar duas vezes no mesmo intervalo.

Daniel Castro.