Abba celebram 40 anos da vitória na Eurovisão

6 de abril de 1974. As canções da Holanda (I See A Star, de Mouth & McNeal) e do Reino Unido (Long Live Love, por Olivia Newton John) partiam como favoritas para o Festival da Eurovisão.
Mas no final da votação a italiana Gigliola Cinquetti (que tinha vencido dez anos antes com a canção Non ho l’eta) surgia em segundo lugar com o tema Si e a vitória cabia a um grupo sueco do qual, fora das fronteiras do seu país, nunca antes ninguém havia ouvido falar.
Chamavam-se Abba, apresentavam-se ao som de Waterloo e sagravam-se os grandes vencedores da noite. 40 anos depois, o álbum que fez dessa canção o tema-título regressa numa edição comemorativa, com extras em áudio e DVD.
O certame já tinha feito do Volare de Domenico Modugno (Itália, 1958) ou de Puppet on a String de Sandie Shaw (Reino Unido, 1967) verdadeiros êxitos planetários. Tal como o havia sido, inclusivamente com impacte nos EUA (onde chegou ao número 9) o tema Eres Tu, dos Mocedades, que tinha levado a Espanha ao segundo lugar em 1973.Mas nunca antes nem depois o Festival da Eurovisão lançou uma carreira como a dos Abba.
O grupo, com o nome Agnetha, Anni-Frid, Benny & Björn, já tinha discos desde 1972 (quando se estrearam ao som de People Need Love) e em 1973 havia tentado o Festival da Canção sueco, sem contudo o vencer com a canção Ring Ring.
Na noite do Festival da Eurovisão, em Brighton (no Reino Unido), Waterloo somou 24 pontos (um dos quais atribuído pela votação Portugal, num tempo em que cada país tinha 10 pontos por distribuir, com o entendesse, pelas canções concorrentes) e venceu com seis de avanço sobre a Itália.